Donald, Mickey e Pateta

As artimanhas e trapalhadas de Trump incentivam as confusões ao Sul do Equador

As eleições de meio de mandato nos Estados Unidos rendem muitas análises sobre o que significam seus resultados para Donald Trump. Sua derrota na Câmara e em alguns governos estaduais é clara, porém os efeitos para 2020 são polêmicos. Analistas ouvidos aqui no MONITOR anotam que a pauta eleitoral segue a reboque do polêmico presidente.

Por outro lado, as estrelas democratas que se destacaram possuem um perfil distante do de Hillary Clinton, a representante do establishment do partido e dos grandes grupos financeiros e corporativos. Na pauta dos novos parlamentares e governadores, políticas sociais e econômicas mais justas – algo com um viés de esquerda.

Dessa forma, o esquema “nós contra eles” de Trump fica enfraquecido, ainda que, na realidade paralela do presidente estadunidense, faltou pouco para “uma vitória completa”.

No Brasil, em que o debate chega com atraso, e as eleições trouxeram um pré-histórico medo ao “comunismo”, os primeiros dias de Jair Bolsonaro como presidente eleito também motivam análises contraditórias. Há quem acredite que as votações em um Congresso rumo ao ocaso tenham sido um recado ao futuro governante; outros veem como uma limpeza de pauta que visa a tirar um peso sobre Bolsonaro. Em final de mandato, os ratos fazem a festa.

A confusão também é parte da estratégia do novo presidente, assim como de Trump, não tivesse o brasileiro apoio externo nas redes sociais. Há contra Bolsonaro, porém, o estrago interno feito por incompetentes aliados. O resultado, até agora, é um desgaste prematuro.

JC Cardoso, chegando de Beijing

Juan, no?’

Cerimônia de encerramento de todo o programa. Incompreensível como chamavam nossos nomes ao palco. Só soube que eu era eu quando ouvi Juan.

 

Geladeira

Sempre falei que curtia frio com sol, que era o melhor clima, coisa rara de acontecer no Rio (capital). Claro que meu referencial de frio com sol era Petrópolis, Teresópolis ou, no máximo, Curitiba. Nunca meu referencial havia sido Beijing.

 

Tudo igual

Recebo um aviso em espanhol de uma chinesa da Diplomacia de que eu teria que devolver minha credencial (com foto) ao Diário do Povo, em que havíamos “estagiado” durante agosto, porque só faltava a minha. Disse que já o havia feito e expliquei a quem entregara.

Não estavam achando. Busca de lá, busca de cá, um repórter português que trabalha há anos no jornal chinês esclareceu a confusão. É que os chineses haviam-me confundido com o jornalista de Angola, que também é João e fala português. Um cara que é a cara do Eddie Murphy.

 

Do futuro

Eu venho do futuro. Estive seis meses à frente do tempo do Brasil, mas sempre com respostas retardadas. E minha vida no futuro, enfim, chegou ao fim. Passei 24 horas voando num dia que não existe. Na contramão do tempo.

Cruzarei continentes, países cujos idiomas não falo, povos que nem conheço, terras para as quais não tenho visto. E, apesar disso tudo, chegarei só seis horas depois.

Eu venho do futuro que é socialista. E volto para o Brasil atrasado.

 

Rápidas

A Associação dos Advogados de São Paulo oferece aos advogados de todo o país um novo espaço, no edifício Santos Augusta, para suas atividades. O ambiente funciona das 8h às 22h *** A edição de novembro do Baile Caxias Shopping, nesta segunda, fará uma homenagem ao movimento Novembro Azul – campanha de conscientização sobre câncer de próstata *** O Ibracon está com inscrições abertas para o Módulo 3 do curso “Trabalhos de Auditoria de Menor Complexidade” em www.ibracon.com.br/eadibracon *** São Paulo recebe este final de semana o Quantum House Reliliency Summit, festival de resiliência com Claudia Riecken, criadora do Método Quantum. Informações: www.quantumhouse/summit *** O advogado Gabriel Di Blasi, diretor jurídico da Associação Brasileira de Franchising, realizará a abertura do Simpósio Jurídico e de Gestão Empresarial, promovido pela ABF Rio, nesta terça-feira, no Centro de Convenções do edifício RB1, no Rio de Janeiro *** Em comemoração ao Dia Mundial do Diabetes, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) farão nesse domingo ação de conscientização na Praia de Copacabana, a partir de 9h. Dentre as atividades, aulão de ginástica e um café da manhã saudável.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Quem ganha com desempenho do PIB brasileiro

Setores beneficiados pelo dólar crescem, enquanto desemprego bate recorde.

Alta recorde de commodities vai continuar por quanto tempo?

Diante de juros baixos, especulação vai para ativos reais.

Projeto de AMLO não atrai classe média mexicana

Presidente consegue vitórias nas eleições, mas perde voto urbano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Anvisa, vacinas e mortes

Por Pedro Augusto Pinho.

Só 2% de 1,3 bi de pessoas receberam dose da vacina na África

Continente precisa de 225 milhões de doses para cumprir meta até setembro.

Unctad: Após covid planeta deve ter recuperação mais verde e inclusivo

Fórum promove o diálogo sobre como o comércio pode contribuir para um mundo mais próspero, inclusivo e sustentável, que beneficie as pessoas.

Ethimos abre 34 vagas de emprego no estado de SP

Oportunidades são para a capital e oito cidades do interior.